Faça parte do nosso programa de fidelidade!

Alimentação infantil: como ofertar uma vida saudável para seu filho?

 1.134 Visitas  1 de agosto de 2019  Edgar Faria
criança fazendo uma alimentação infantil saudável com frutinhas na mão

A introdução alimentar é uma das fases mais importantes da infância, pois é nela que a criança tem o primeiro contato com a comida sólida e começa a receber outras fontes de nutrição além do leite materno — e é isso que irá educar o seu paladar a longo prazo. 

Mas é fundamental que a alimentação infantil continue equilibrada durante todo o crescimento do pequeno, afinal, a saúde está diretamente ligada aos itens que se tem no prato.

O problema é que nem sempre essa atenção é mantida, e após o fim da introdução alimentar — quando hipoteticamente o bebê já está pronto para comer todo tipo de comida — os pais acabam dando menos atenção para a escolha dos alimentos e trocando muitas refeições de uma alimentação infantil saudável por produtos industrializados e lanchinhos fora de hora.

É nesta fase também que as crianças começam a entender a diferença de sabores entre uma comida e outra, e passam assim a opinar sobre o que desejam comer. 

Portanto, se elas foram apresentadas aos conservantes e processados, a alimentação infantil saudável torna-se um verdadeiro desafio e as mamães se veem obrigadas a liberar aqueles salgadinhos e biscoitos. E é aí que mora o verdadeiro perigo.

Se você está enfrentando essa fase e não sabe mais o que fazer para adotar uma alimentação infantil saudável em casa, chegou ao lugar certo. 

Hoje a Kids Brasil preparou um guia completo com a importância das comidas corretas na dieta da criança e separou dicas infalíveis para os pais implementarem uma rotina nutritiva na vida dos seus pequenos — mesmo que atualmente eles “torçam o nariz” para os legumes, frutas e vegetais. 

Está pronta para mudar esses hábitos? Então, vamos lá!

A importância da alimentação infantil saudável

Bebês tomando leite, um ótimo componente para uma alimentação infantil saudável

O aleitamento materno é essencial para o desenvolvimento infantil, mas, a partir dos seis meses, é necessário começar a introduzir outros alimentos na dieta do bebê.

O aleitamento materno é essencial para o desenvolvimento infantil, mas, a partir dos seis meses, é necessário começar a introduzir outros alimentos na dieta do bebê.

Até os seis meses de vida, o leite materno fornece tudo o que o bebê precisa para se desenvolver bem. Porém, depois disso, a alimentação externa se torna essencial para que a saúde e o crescimento infantil continuem caminhando bem. 

Ou seja, se o bem-estar do pequeno depende do que ele consome, as bolachas recheadas, os doces, os refrigerantes, os salgadinhos e todos aqueles alimentos que nós já sabemos que não são saudáveis são os grandes inimigos de uma criança saudável.

Por mais que as embalagens sejam chamativas e até mesmo o conteúdo tenha um sabor delicioso, essas comidinhas prontas e industrializadas não possuem nutrientes ativos e interessantes para a alimentação infantil. 

Muito pelo contrário: elas carregam altas taxas de sódio e gordura saturada, que embora tenham suas funções no organismo, são as causadoras de doenças perigosas, como a hipertensão, o colesterol alto e até mesmo o infarto.

Por isso, a indicação dos nutricionistas e pediatras é que a base da alimentação infantil seja sempre natural e, se possível, orgânica. 

Além disso, é essencial que as refeições possuam uma variedade de vegetais, legumes, frutas e cereais, que terão o papel de repor as vitaminas, o ferro, o cálcio e as calorias no corpo da criança.

Vale ainda explicar que o processo de industrialização dos alimentos reduz a quantidade de nutrientes essenciais para os pequenos. 

Isso sem contar o acréscimo de substâncias químicas nocivas ao organismo dos menores — que ainda está despreparado para tais contaminações —, e que por isso devem ser totalmente evitadas, visando a manutenção de uma alimentação infantil saudável.

Os benefícios dos alimentos naturais para as crianças

Bebê segurando um pote com uvas, ótima fruta para uma alimentação infantil saudável

Uma alimentação infantil saudável só trará benefícios para o seu filho.

Quando falamos no consumo de alimentos naturais, não estamos falando apenas em ingerir produtos diretamente da natureza — como frutas e legumes —, mas também que tenham o mínimo de preparo — já que o cozimento e a trituração diminuem significativamente as propriedades nutritivas do mesmo.

Isso explica porque grande parte das receitas de papinhas para bebês são cozidas somente para amolecer o alimento e não utilizam nada de temperos. 

No caso de crianças que já mastigam, fica ainda mais fácil manter a alimentação infantil saudável, pois elas podem comer as frutinhas lavadas e assim absorver todos os nutrientes disponíveis.

E se os produtos forem orgânicos, melhor ainda — já que elimina o risco de consumir-se agrotóxicos e fertilizantes.

A procedência das carnes, fontes de proteínas, também deve ser avaliada, pois muitas empresas alimentícias adotam substâncias  e rações inadequadas para os animais crescerem mais rápido. 

Assim, a regra é uma só: sempre pesquise a origem de cada item escolhido para compor a alimentação infantil.

3 problemas do consumo de produtos industrializados para a alimentação infantil

Criança com um pote tomando cereal com leite, um bom aliado para uma alimentação infantil saudável e equilibrada

Apesar de ser o que mais agrada o paladar das crianças, os alimentos ricos em gorduras e açúcar estão longe da alimentação infantil saudável.

Se você quer que o seu filho seja um adulto forte e com a saúde imbatível, precisa valorizar a alimentação infantil e entender a dimensão dos riscos que os produtos industrializados e ultraprocessados trazem a curto e longo prazo. 

Então, confira abaixo 3 doenças muito comuns na atualidade que são agravadas por esse tipo de comida na infância:

1. Obesidade

Criança sentado em uma toalha fazendo piquenique. Uma atividade legal para estimular a alimentação infantil saudável

Para evitar a obesidade, é indicado trocar os alimentos gordurosos e cheios de açúcar por frutas, por exemplo.

A doença que atinge cerca de 2 milhões de brasileiros por ano e está diretamente ligada a alimentação. Ela não escolhe idade, portanto, crianças e adolescentes também estão propensos a  esse problema. 

Assim, não existe segredo: dar a devida importância na escolha dos alimentos é o primeiro passo para uma infância saudável.

Isso, porque os obesos adultos possuem um grave histórico de má alimentação infantil. 

Em outras palavras, mesmo que o seu filho seja magro ou não engorde com facilidade, não significa que ele está liberado para comer de tudo sem restrições ou moderação, pois é nessa fase que o corpo aprende a criar defesas contra enfermidades futuras.

Vale lembrar também que embora esteja intrinsecamente ligada ao peso, a obesidade não afeta apenas os números da balança. 

Você sabia que dentre os seus grandes riscos está o desencadeamento de doenças cardíacas, de circulação e até mesmo de diversos tipos de câncer? Pois é, por isso afirmamos que não existem desculpas para não cuidar da alimentação infantil.

2. Diabetes

A cada 11 pessoas, uma possui a diabetes — e 50% desse grupo que apresenta a doença ainda não descobriu o problema. Isso acontece porque a diabetes é uma doença silenciosa e que ataca jovens e adultos sem dar sintomas aparentes. 

E quer uma notícia ainda mais preocupante? Por conta dos péssimos hábitos alimentares atuais da população, a tendência é que esse número continue crescendo.

Aquelas guloseimas ricas em açúcares que as crianças tanto amam são um dos principais causadores dessa disfunção. 

E enquanto as frutas vão perdendo cada vez mais espaço, os chocolates, as balas e os doces — que são totalmente dispensáveis e sem ganhos nutricionais — começam a fazer parte da alimentação infantil logo nos primeiros anos de vida.

Esse é um erro e tanto, mas que é possível de ser driblado. 

Por isso, te propomos um desafio: topa inserir mais frutinhas no dia a dia do seu filhote e dar adeus aos pirulitos depois do jantar? 

Com certeza você não irá se arrepender de implementar uma alimentação infantil saudável!

3. Intoxicação alimentar

Prato com sopa, legumes e leguminosas. Uma refeição balanceada para uma alimentação infantil saudável

A alimentação infantil saudável evita, entre outras coisas, as intoxicações alimentares.

Você já deve ter reparado que as embalagens dos industrializados possuem uma lista de contraindicações destinada aos alérgicos, certo? 

Mas se considerarmos a quantidade de ingredientes que são misturados com substâncias químicas que desconhecemos, essa tabela triplica de tamanho.

Cada organismo reage de maneira diferente ao entrar em contato com qualquer alimento, especialmente no caso dos que são fabricados industrialmente. 

Logo, é muito comum vermos crianças tendo infecções intestinais e estomacais que poderiam ser evitadas se a alimentação infantil fosse mais saudável.

Isso significa que a criança está proibida de comer tudo o que for embutido e processado? Não exatamente, afinal, somente o pediatra pode fazer essas restrições com base no quadro de saúde do pequeno paciente. 

Mas o que podemos garantir é que cabe aos pais saber ponderar o consumo desses itens e proporcionar uma alimentação infantil saudável, saborosa e equilibrada.

O papel fundamental dos pais na alimentação infantil

Como já falamos no início deste guia, às vezes é difícil competir com os gostos e escolhas da criança quando o assunto é comer. 

A maioria dos pequenos sempre preferem os alimentos menos saudáveis do mercado e dificilmente gostam de comida de verdade.

Mas além de determinar como será a alimentação do seu filho, existem outros truques para fazê-lo aceitar o que é colocado na mesa. Veja alguns deles:

1. Realizar as refeições no horário certo

As crianças conseguem aprender muito mais rápido quando estão dentro de uma rotina, isso vale para a escola, e também para a alimentação. 

O corpo e a mente dos pequenos associam os horários do dia com as refeições que serão feitas, assim, quando a hora do almoço chega eles já sabem que terão arroz e feijão no pratinho.

Além disso, se o seu filho tiver um horário reglado para comer todos os dias será muito mais difícil ele se recusar a almoçar ou jantar, por exemplo.

Mesmo que não sinta fome, o seu organismo sentirá a necessidade de ingerir algo mais leve ou mais pesado de acordo com o período.

2. Manter a tranquilidade durante as refeições

Realizar brincadeiras ou fazer gracinhas na hora das refeições pode ajudar a tornar essa experiência melhor tanto para a criança, quanto para os pais.

E se mesmo com a rotina bem regrada a criança não quer comer? Mantenha a calma e não torne esse momento em algo negativo na memória do seu filhote — caso contrário, sempre que chegar a hora da refeição ele lembrará de situações caóticas e a associará com algo ruim.

A dica é contornar a situação de uma maneira divertida, levando a comida até a boca da criança com pequenas brincadeiras e musiquinhas, por exemplo. 

É importante ainda que o local da alimentação seja limpo, calmo, atrativo, confortável e com sons agradáveis.

Isso influencia não apenas na higiene, mas no bem-estar e na disposição da criança em estar ali para comer. Lembre-se que os pequenos estão sempre atentos a tudo o que acontece à sua volta.

3. Variar o cardápio no dia a dia

Panela com vários temperos diferentes, elemento chave para uma alimentação infantil saudável diversificada

Existem diversas opções para manter uma alimentação saudável, então conheça e abuse dos diferentes ingredientes!

Às vezes nós adultos enjoamos de comer sempre a mesma coisa, certo? Isso também acontece com as crianças e pode atrapalhar completamente a busca por uma alimentação infantil saudável. 

Portanto, tente sempre diversificar o cardápio e oferecer uma carne e um legume diferente no almoço e outros no jantar. 

O mesmo vale para os lanchinhos de frutas, para os sucos e para as sopinhas, por exemplo.

Essa variação no cardápio permite que a alimentação infantil seja composta dos diferentes vegetais e cereais ricos que existem na natureza. 

Aliás, é possível encontrar até mesmo diversas opções vegetarianas e veganas muito saborosas e que podem ser aprovadas pelos pequenos. Vale a pesquisa!

4. Adotar alimentação igual a da criança

Prato saudável com uma salada bem colorida

Por último, o conselho é: seja o próprio exemplo. Essa é uma das dicas mais importantes para que o seu filho aceite de vez que a comida saudável é sim deliciosa. 

Não adianta falar que o amiguinho da escola come espinafre se nem mesmo você estiver com um prato colorido na mesa. Afinal, os pequenos imitam sempre as ações dos pais.

Se na amamentação as mamães procuram por alimentos mais nutritivos, o ideal é que toda a família se encaixe na rotina durante a introdução alimentar do pequeno. 

Essa é uma fase de adaptação para o neném e quando os pais vivenciam isso na prática, tudo se torna mais fácil para a casa inteira.

Agora que você já sabe a importância da alimentação infantil saudável — e aprendeu como ajudar o seu bebê a ter uma vida com mais bem-estar —, chegou a hora de escolher melhor os ingredientes nutritivos que irão compor o cardápio da sua próxima semana. 

Capriche na seleção dos produtos naturais e sinta a disposição, o sono e o bom humor do pequeno melhorarem em apenas alguns dias.

Ah, e não se esqueça de dar aquela passadinha na loja virtual da Kids Brasil para conferir as novidades da moda infantil importada que acabaram de chegar. Clique aqui e aproveite todas as ofertas e os descontos exclusivos!

botão que redireciona para loja online





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF