Faça parte do nosso programa de fidelidade!

Nidação: sintomas, quando e como ocorre

 10.862 Visitas  20 de fevereiro de 2019  Edgar Faria
Gestante segurando a foto do ultrassom

Um passo fundamental para quem está planejando a gravidez é conhecer cada etapa da gestação, podendo assim, entender o funcionamento do seu organismo e acompanhar com segurança o desenvolvimento do bebê.

Neste guia completo, vamos explicar tudo sobre a nidação, os sintomas, o que é e como ocorre, e ainda tirar as dúvidas mais frequentes sobre a primeira fase do embrião.

Antes de mais nada, é importante deixar claro que a nidação ocorre com o zigoto — que é basicamente o óvulo fecundado pelo espermatozoide —, e somente após esse processo é possível considerar a gravidez ativa com um embrião em evolução.

Portanto, o hormônio HCG só será identificado no corpo da mulher cerca de 5 dias depois do início dos sintomas de nidação.

Tenha em mente que as reações variam de mulher para mulher

Vale lembrar que cada corpo pode reagir de forma diferente tanto à nidação, quanto à gravidez. Assim, é possível que mulheres apresentem pouquíssimos sintomas ou o contrário — já nos primeiros dias de fecundação.

Ciclos irregulares também podem interferir na identificação dos sintomas de nidação, por isso é essencial manter a calma e controlar a ansiedade antes de fazer inúmeros testes e exames HCG precocemente.

De qualquer forma, entendemos a preocupação feminina quando se está tentando engravidar, e, para vocês, a nossa dica principal é: fique atenta aos indícios do seu organismo e conheça o seu corpo, assim você conseguirá evitar frustrações desnecessárias e curtir esse momento do início ao fim.

O teste negativo é completamente normal no início da gravidez

Muitas mamães de primeira viagem são surpreendidas com um teste negativo após a fecundação do zigoto — mesmo que após um ou dois dias já seja possível comprovar a gestação em um novo exame.

Isso ocorre porque o processo de nidação ainda não havia sido concluído no momento do primeiro teste, logo, o HCG não estava sendo produzido.

Agora que você já entendeu que cada corpo pode reagir de um jeito e sabe o que é a fecundação, chegou a hora de entender com detalhes o que é nidação e qual a sua importância na gravidez. Vamos lá?

Nidação: a primeira etapa para o desenvolvimento do embrião

A implantação do zigoto na parede uterina é o que dá início ao desenvolvimento do bebê. De forma mais detalhada, na tuba uterina, o óvulo é fecundado pelo espermatozoide após uma relação sexual durante o período fértil.

A partir disso já temos um zigoto em amadurecimento, porém, ainda sem indícios de gestação. A nidação é exatamente o processo que transportará o zigoto da tuba uterina até o útero — onde será fixado no endométrio —, dando início a produção de hormônios e transformações no corpo feminino.

É a nidação que finaliza o ciclo menstrual e inicia a gestação

Casal de futuros papais conferindo os sintomas de nidação

Os primeiros sintomas de nidação dependem diretamente das datas do período fértil e das relações sexuais.

Tendo em vista que a fertilidade da mulher ocorre aproximadamente 14 dias posteriores ao início da menstruação, a relação sexual sem métodos contraceptivos 3 dias antes e 3 dias depois — além do próprio dia fértil — são os ideais para quem está planejando ter um bebê.

Esta conta é feita com base no tempo de vida que o gameta masculino sobrevive dentro do organismo feminino — que pode chegar até a 72 horas e é exatamente o tempo que dura um óvulo após a ovulação.

Dessa maneira, um casal sem problemas de fertilidade possui muito mais chances de conseguir a fecundação. Sendo assim, a nidação poderá ocorrer entre a primeira e a segunda semana seguinte a formação do zigoto e é quando alguns sintomas começam a aparecer.

Quais são os sintomas de nidação?

Não são todas as mamães que conseguem notar os sintomas de nidação ocorrendo no corpo, e por isso, a maioria desses sintomas, principalmente as que não estão planejando uma gestação, demoram cerca de dois ou três meses para descobrirem que estão esperando um bebê.

Entretanto, as mulheres mais sensíveis às alterações corporais podem ter sintomas como:

Por mais que assuste, um pequeno sangramento é completamente normal — além de ser o sintoma de nidação mais comum. Ele ocorre enquanto o embrião está se fixando na parede uterina, podendo deslocar alguns resíduos do endométrio que fica naturalmente mais espesso para a implantação do zigoto e nutrição do feto em desenvolvimento.

A nidação não é igual a menstruação

É comum que muitas mulheres confundam menstruação e nidação, porém as diferenças são enormes.

Começando pela intensidade do fluxo, na nidação não é necessário o uso de absorventes, somente um protetor diário para evitar manchas na calcinha. Além disso, a coloração do sangue é fraca — tem um tom rosado — e também não deve causar cólicas fortes, como é comum no período menstrual.

E se eu não sentir os sintomas de nidação?

mulher sentada esboçando preocupação com os sintomas de nidação

Os sintomas de nidação são muito sutis e é completamente normal não notar nenhum deles.

Pesquisas apontam que apenas 20% das mães identificam essas manifestações, e justamente por serem tão raros é importante conhecer essa fase para evitar a ingestão inadequada de medicamentos, por exemplo.

No caso de dúvidas ou anormalidades nos sintomas de nidação, é fundamental consultar um ginecologista o quanto antes para acompanhar a evolução do quadro.

Portanto fique atenta, em especial, ao sintoma do sangramento, pois esses indícios também podem indicar um aborto espontâneo se tiver duração e fluxo elevados.

Outro ponto importante de se compreender é que a nidação tem data e duração para acontecer. Portanto, isso faz toda a diferença para a gestante identificar e acompanhar o desenvolvimento do seu embrião.

Como saber quando ocorre a nidação?

A nidação pode acontecer até 14 dias depois da fecundação — ou no período que seria o fim do ciclo menstrual. Quando a nidação ocorre em datas mais tardias, é comum que a gestante já note o atraso da menstruação, mesmo que ainda não seja possível ter um resultado positivo caso realize um teste.

Ao contrário do que se pensa, a nidação não é uma etapa imediata e ela pode durar até 5 dias. Este é o tempo em que o zigoto se desloca para o útero. Antes disso, o óvulo e o espermatozoide podem permanecer fecundados na tuba uterina por até 24 horas antes de surgir o zigoto que será transportado.

Mas, como acontece a nidação?

Durante os 5 dias da nidação, acontecem 3 etapas diferentes — que embora sejam muito rápidas, são fundamentais para que o bebê tenha uma formação perfeita e saudável. São elas:

  1. A implantação do zigoto no útero, que passa a ser chamado de blastocisto;
  2. Após esse processo, o blastocisto se envolve no endométrio — onde será nutrido;
  3. E por fim, o embrião fica acomodado na cavidade do endométrio, pronto para começar o crescimento.
futura mamãe com o seu barrigão

Por causa dessas etapas, os sintomas de nidação podem aparecer e gerar algum desconforto para a futura mamãe.

Vale frisar que esses sintomas são bem diferentes dos sinais que confirmam a gravidez, ok?

Depois da nidação, todas as mudanças acontecerão com mais intensidade, causando os enjoos e inchaço nos seios e no abdômen, por exemplo. É nesse momento que gestação passa, de fato, a ser percebida pela mulher.

Não tive nidação, e agora?

Alguns problemas na formação uterina podem impedir que a nidação ocorra naturalmente — como a endometriose, que é uma doença comum e que causa o crescimento do endométrio fora das paredes uterinas.

Outro problema bastante comum é o endométrio não trilaminar, ou seja, não criar espessura suficiente para fixar e nutrir o embrião. Nesse caso, se a questão não for identificada rapidamente pode gerar uma série de abortos espontâneos.

Para ambas as situações há tratamentos hormonais capazes de reverter o quadro, e com o acompanhamento médico é possível seguir tranquilamente com a gravidez.

Útero bicorno

O útero bicorno também pode impedir a nidação — pois neste caso, o órgão possui uma membrana que o divide em dois, tornando o espaço muito restrito para o crescimento do embrião.

Há relatos de gestações que seguem normalmente — mesmo em um útero bicorno —, pois no momento da nidação o zigoto foi implantado no lado maior do órgão.

O tratamento para este problema é cirúrgico, portanto precisa ser diagnosticado e avaliado por um médico de confiança para realizar a operação.

Gravidez ectópica e nidação

Se a nidação não ocorrer e o embrião começar a se desenvolver na tuba uterina, temos o caso de uma gravidez ectópica — que causa sérios riscos para a vida da mãe e do feto.

Em raras pacientes, é possível que o embrião ainda se desloque para o útero. No entanto, essa é considerada uma gestação de risco e a mulher precisará manter repouso absoluto durante os 9 meses.

Mulher preocupada com os sintomas de nidação

Quando identificada, a gravidez ectópica precisa ser interrompida imediatamente para evitar o rompimento da tuba uterina ou outras lesões no sistema reprodutor

Quando identificada, a gravidez ectópica precisa ser interrompida imediatamente para evitar o rompimento da tuba uterina ou outras lesões no sistema reprodutor.

Vale explicar que, muitas vezes, o próprio organismo expele o embrião para preservar a saúde da mulher. Porém, quando isso não acontece, é necessário recorrer a procedimentos hospitalares.

O que fazer quando a expulsão natural do embrião não acontece?

Se a expulsão natural não ocorrer, é necessário realizar o procedimento por meio de remédios ou cirurgia. Somente o médico e a paciente podem decidir qual será o método utilizado.

Contudo, para gestações ectópicas em estágio inicial, são indicadas o uso de remédios hormonais para a interrupção — já que poupa a paciente de enfrentar um bloco cirúrgico.

Quando o caso já está muito avançado, o ideal é a cirurgia para diminuir o risco de ruptura da tuba uterina.

A boa notícia é que, hoje em dia, já existem tratamentos que permitem que mulheres tenham novas gestações — e totalmente saudáveis —, mesmo após a gravidez ectópica e a perda deste primeiro embrião.

bebê recém-nascido

Com acompanhamento médico, hormônios e medicamentos diários, sempre haverá outras chances de ser mãe.

Faça um pré-natal e acompanhe o seu bebê desde o início

Se você está tentando engravidar ou já está esperando um bebê, não deixe de fazer o acompanhamento adequado com um ginecologista e um obstetra. A assistência médica é fundamental para garantir uma gravidez sem riscos e um parto tranquilo.

E enquanto os profissionais cuidam da sua gestação, a Kids Brasil espera por você para rechear o guarda-roupa do seu bebê com os looks e acessórios mais confortáveis e estilosos da moda infantil.

conheça a nossa loja virtual e confira as novidades





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF

Quer economizar 5% em sua compra?

Cadastre-se e regate agora!

× não quero desconto