Aborto espontâneo: quais são as principais causas?

 663 Visitas  26 de maio de 2020  Edgar Faria
Aborto espontãneo

Duas palavras que geram muito medo e dor nas mamães: aborto espontâneo. Infelizmente, ele acontece em cerca de 15% das gestações até a 22º semana. Quando ocorre até a 12ª, é chamado de aborto precoce e, depois disso, de tardio. 

Mas em meio a tanta tristeza, muitas mulheres começam uma busca desesperada para entender porque ele aconteceu e se foi culpa delas. Por isso, criamos esse texto para explicar quais as principais causas do aborto espontâneo.

Porém, nosso objetivo maior é mostrar que não é culpa de ninguém. É uma tragédia que afeta muitas famílias, mas que com amor e companheirismo, essa dor pode ser amenizada.

Quais são os sintomas?

Primeiro, vamos falar sobre os sintomas. Os principais é a dor intensa na barriga e um grande fluxo de sangramento. O sangue liberado também pode conter coágulos. 

Contudo, é importante lembrar que é comum algum sangramento nas primeiras semanas de gravidez, a chamada “nidação”. Trata-se da implantação do óvulo no útero. Todavia, a quantidade de sangue é muito pequeno e algumas mulheres nem notam esse processo. 

As causas do aborto espontâneo

Falhas cromossômicas

O principal fator que gera o aborto espontâneo precoce são as falhas cromossômicas. Isto é, quando o embrião não se formou corretamente. Assim, o organismo da mulher pode rejeitá-lo e eliminar ele.

Esse problema é considerado algo normal pelos médicos. No entanto, quando acontece mais de duas vezes, é preciso fazer uma avaliação para detectar possíveis problemas genéticos na mãe ou no pai.

Alterações hormonais

Outro motivo que pode gerar o aborto é alguma alteração hormonal. O mais comum é a insuficiência de progesterona, que atua na formação do endométrio – o revestimento interno do útero – e na fixação do embrião no órgão. Além disso, também auxilia o desenvolvimento do feto no decorrer da gravidez.

Outros problemas hormonais também podem ser acarretados pela tireoide, que produz o T3 e o T4, que conduzem diversos processos metabólicos do corpo. Então, a falta ou o excesso deles podem causar infertilidade ou aborto. 

Aborto espontâneo pelo formato do útero
Úteros com formatos diferentes causam problemas nas gestações

O formato do útero

Mulheres com úteros em formatos não usuais também sofrem com mais riscos de aborto espontâneo. Há vários tipos, como o útero bicorno, septado, arqueado ou endométrio deformado. Miomas e cistos também podem atrapalhar. 

Há ainda a condição chamada de “istmo-cervical”, conhecida popularmente como “incompetência uterina”. Ela ocorre quando o útero possui um colo mais curto e maior tendência para se dilatar e contrair, mesmo com apenas o peso do bebê. 

Doenças autoimunes

Assim como nas alterações cromossômicas, as doenças autoimunes também fazem com que o corpo da mulher rejeite o embrião e o elimine. Nesta situação, o que ocorre é que o organismo percebe como um “objeto estranho” que pode causar malefícios à saúde. 

Infecções causam aborto espontâneo

Doenças infecciosas como clamídia, sífilis, micoplasma e toxoplasmose podem ser as causadoras de um aborto. Portanto, as consultas de pré-natal são extremamente importantes para detectá-las logo no início e evitar a perda do bebê. 

Aborto espontâneo pelo uso de medicamentos
Qualquer medicamento ingerido durante a gravidez deve ter a prescrição médica

Uso de remédios sem o acompanhamento médico

Durante a gravidez, tudo o que a mãe ingere é repassado para o bebê por meio da placenta. Com isso, substâncias como alguns remédios e álcool, devem ser eliminados.

Portanto, nunca tome nenhum medicamento que não tenha a prescrição médica. Qualquer dor ou desconforto que sentir, procure a ajuda do especialista. Nem mesmo chás medicinais são seguros.

Quando voltar a engravidar?

Após um aborto espontâneo, o mais recomendado é esperar três meses e dois ciclos menstruais para voltar com as tentativas de engravidar. Todavia, esse prazo pode ser diferente de acordo com as investigações sobre o que causou a perda do embrião.

Também é necessário levar em consideração o estado emocional da mulher. É preciso estar bem consigo mesma e tranquila para tentar uma nova gestação.

Então, nossa caixinha de comentário aqui embaixo está à disposição para você encaminhar suas dúvidas ou contar sua história. Conversar com alguém, mesmo que seja pela Internet, pode diminuir um pouco a dor e a angústia causada por um aborto. 





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF

Quer economizar 5% em sua compra?

Cadastre-se e regate agora!

× não quero desconto