Atividades de coordenação motora: 7 opções para os pequenos!

 1.262 Visitas  29 de janeiro de 2021  Kids Brasil
Bebê sentado brincando com brinquedo lúdico

A infância é uma das melhores fases para se aprender coisas novas, visto que a criança está em constante desenvolvimento. Para ajudá-la a melhorar aspectos motores, as atividades de coordenação motora são essenciais.

Muito além de um meio para brincar e se divertir, essas ações vão auxiliar grandemente para que os pequenos consigam realizar os afazeres do dia a dia sem muitos problemas.

Preocupada em oferecer sempre o melhor para as mamães e para as crianças, hoje, a Kid’s Brasil trará alguns exemplos dessas brincadeiras, podendo ser aplicadas em casa ou em um ambiente escolar de modo fácil e prático.

Quer saber mais? Continue lendo o post!

Por que trabalhar com atividades de coordenação motora é importante?

A coordenação motora é a capacidade que temos de realizar atividades diárias, controlando nossos corpos e os movimentando de maneira a tornar tudo mais prático e eficaz. Vale ressaltar que ela está presente em qualquer ato que realizamos durante a nossa vida.

É importante dominá-la desde a tenra idade para que, conforme crescem, as crianças consigam realizar cada vez mais coisas com eficiência, sem muitas dificuldades e sem risco de ter algum atraso nas funções.

Muito mais do que necessário, é um direito da criança essa facilidade, atestado no Estatuto da Criança e do Adolescente, no artigo 3, que assegura, como lei, oportunidades para o desenvolvimento físico, mental, entre outros, em condições dignas e de liberdade.

Apesar de não estar tão presente nos primeiros dias de vida, a coordenação motora da criança é estimulada por pequenos atos que contribuem para seu desenvolvimento. Isso acontece quando o bebê estende as mãos, faz o movimento de pinça, movimenta as pernas, entre outras coisas.

Mesmo com esses estímulos constantes, é de extrema importância a contribuição dos pais e professores nesse progresso. É nesse momento que surgem as brincadeiras. Aprender se divertindo, com certeza, é a melhor opção, independente do que.

Com as brincadeiras, trabalha-se a coordenação motora grossa e fina. A primeira se caracteriza pelo uso de grupos musculares e ossos maiores e que exigem um pouco mais de força e agilidade, como correr, saltar, chutar, entre outras. A fina trabalha sistemas menores para desenhar, escrever, pintar e segurar objetos.

Pai e bebê sentados no chão brincando com brinquedos lúdicos

Basta pensar em opções que conseguem trabalhar bem ambas as coordenações e ver a criançada se divertir e aprender!

7 brincadeiras para a coordenação motora: as mais divertidas!

Essas atividades para a coordenação motora são super práticas e fáceis de se montar, exigindo poucos materiais e o melhor de tudo: trazendo muita interação e diversão para os pequenos. Elas podem ser feitas em grupos de crianças ou apenas para uma. São elas:

1. Arremesso

Arremessar é uma das maneiras de trabalhar senso de direção, espaço e força. Para isso, basta separar uma bola de tamanho adequado e com peso leve para as crianças e um cesto, pode ser qualquer balde, bacia ou caixa vazia. Para deixar mais interativo, é possível enfeitar os objetos e desenhar linhas no chão.

Se não tiver uma bola por perto, é possível fazer com meias, basta selecionar uma quantidade boa e ensinar a criança a arremessar para acertar o alvo, no colo ou em pé. Caso ela ainda não consiga, pode apenas colocar a bolinha dentro do cesto.

2. Boliche com garrafas pet

Há brinquedos como pinos de boliche, mas as garrafas pet também podem ser usadas. Assim, separe uma bolinha um pouco mais pesada, uma de tênis ou de borracha, por exemplo, e posicione as garrafas pet como os pinos do boliche.

Basta ensinar o pequeno a arremessar para derrubar, assim ele trabalhará a força necessária, mira e, claro, desfrutará da brincadeira!

3. Circuito

Um passatempo bem interativo e divertido de fazer, trabalhando a atenção, o senso de espaço, lateralidade e a coordenação motora grossa, é o circuito. E para fazer é muito fácil!

Crie alguns obstáculos e caminhos para que os pequenos passem. É relevante afirmar que essa prática só pode ser aplicada com os bebês que já conseguem andar, mais ou menos, a partir de um ano. Assim, almofadas, fitas no chão, cordinhas, cadeiras e outras coisas servem para criar um caminho com obstáculos.

4. Torre de objetos

Essa atividade promete prender bastante a atenção dos pequenos, afinal, eles gostam de empilhar coisas, não é? A cada novo item colocado em cima de outro, é uma comemoração super gostosa!

Em geral, podem ser usados copinhos descartáveis para fazer torres ou pecinhas próprias para isso. Basta mostrar à criança como se faz e deixá-la trabalhar a coordenação motora fina e a força.

5. Encaixar

Há brinquedinhos que vem com pecinhas para encaixar de formas diferentes. Mas, caso não haja uma dessa em casa ou na escola, é possível fazer uma de um modo um pouquinho diferente.

Com uma caixa de papelão, recorte com o estilete um espaço para a forma, como um círculo, uma estrela, um coração e um retângulo. Pinte para prender mais a atenção e, depois, com outros pedaços da caixa ou papel cartão (que é mais duro) recorte as formas. Assim, é só ensiná-lo a colocar cada figura no lugar certo.

6. Teia de aranha

Essa prática vai garantir muitas risadas, concentração e, claro, desenvolvimento da motricidade. Com uma fita crepe ou durex colorido, em um corredor, cole de uma extremidade a outra vários pedaços para que se torne uma pequena teia de aranha, lembrando de deixar espaço para as crianças passarem.

A ideia é que passem e depois voltem pelo percurso sem esbarrar em muitas fitas e ficar com elas grudadas. O senso de espaço, concentração, controle das pernas e braços será incrivelmente trabalhado aqui.

Mas não se esqueça de vestir com roupas certas para evitar machucados devido o atrito com o chão!

7. Encher o balde

Brincar com água é sempre legal para a criançada, não é? Sejam elas pequenininhas ou grandes. E por que não fazer uma brincadeira que a utilize?

Separe um copo de plástico ou esponjas e dois recipientes com água, podem ser baldes. Feito isso, instrua o pequeno a transferir a água de um lugar para o outro até que um recipiente esteja vazio e vice-versa. O passatempo vai refrescar naqueles dias mais quentes e trabalhar a motricidade fina.

São tantas opções que pode ser difícil escolher apenas uma. Além das opções mostradas aqui, há muitas outras que são indicadas para várias idades. Uma maneira de decidir qual é a melhor para cada faixa etária é conhecer os estágios de desenvolvimento da criança.

Um breve resumo dos estágios de desenvolvimento piagetiano

Jean Piaget, nascido em 1986, é um nome muito importante e reconhecido no universo educativo, isso porque o biólogo, epistemólogo e psicólogo se dedicou a estudar o desenvolvimento de nosso conhecimento, tendo como foco a criança.

Piaget criou os 4 estágios do desenvolvimento infantil se baseando no natural, o que a criança adquire conforme experiências, psiquê e capacidades cognitivas.

1º estágio – sensório-motor

Essa fase vai desde o nascimento da criança até os seus dois anos de idade e se constitui pelo progresso da coordenação motora e dos sentidos. Mesmo que não tenha uma capacidade tão alta como uma criança quase em sua adolescência, é nesse estágio que o bebê começa a ter a percepção do mundo exterior e passar por novas experiências.

2º estágio – pré-operacional

Nesse estágio, dos dois até os sete anos da criança, ela começa a ter uma percepção maior, evoluindo sua capacidade cognitiva a cada período e sua motricidade. Assim, ela começa a falar, nomear pessoas e objetos e recordar seus nomes, desenvolvendo o raciocínio.

3º estágio – operações concretas

Dos sete aos onze anos, a capacidade cognitiva das crianças está cada vez mais desenvolvida, tornando-se apta para a resolução de problemas concretos, como a interpretação, que ajuda tanto em questões matemáticas, linguísticas e sociais.

4º estágio – operações formais

Aqui, temos pré-adolescentes e adolescentes com boa capacidade lógica e autônoma, pensando em si e no mundo que a cerca. Além disso, a motricidade está em um estágio mais avançado, mesmo que, ainda, não tenha se desenvolvido por completo, afinal, podemos aprender novas coisas sempre.

Conhecendo os estágios do desenvolvimento da criança de Jean Piaget é mais fácil encontrar atividades de coordenação motora adequadas para desenvolver os pequenos conforme a idade que eles possuem.

Banner explicativo sobre os estágios de desenvolvimento piagetiano

O que achou das opções de atividades de coordenação motora? Conte para nós! Ensinar e aprender com práticas divertidas é muito mais eficaz! E para mais dicas para crianças e mamães, não deixe de acompanhar o blog. Até!





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos