Cama compartilhada: os prós e contras

 1.923 Visitas  17 de abril de 2020  Edgar Faria
Cama compartilhada

Tudo o que envolve o sono do bebê é um desafio para os pais. As diversas vezes que o pequeno acorda à noite, por quanto tempo as mamadas noturnas devem durar, se os cochilos durante o dia precisam ser regrados ou não… Ufa! São muitas dúvidas e questionamentos. No meio disso, há também a questão da cama compartilhada. 

Algumas mamães já ouviram falar sobre isso, mas caso você não saiba o que é, não se preocupe, nós vamos explicar. Cama compartilhada é, simplesmente, deixar o filho dormir junto com os pais.

Parece algo banal, certo? Porém, isso gera muitas polêmicas. Há quem afirme que essa prática é benéfica para o desenvolvimento das crianças, enquanto alguns citam os malefícios.

Por isso, separamos os principais prós e contras para você decidir se adotará para seu bebê esse modo de dormir ou não. 

Prós da cama compartilhada

Cama compartilhada facilita amamentação
Cama compartilhada torna a amamentação noturna mais fácil

Praticidade para as mamães

Não é segredo para ninguém que os bebês acordam muito à noite, principalmente para mamar. Então, é sempre a mesma rotina para as mamães: escuta o choro do filho, levanta, vá até o quarto do pequeno, amamenta, coloca ele de volta ao berço e volta para seu próprio quarto.

Tudo isso diversas vezes na madrugada.

Por conta disso, a cama compartilhada é defendida pela praticidade. Afinal, o bebê ficará pertinho da mãe e é muito mais fácil para ela pegá-lo para amamentar. Nem é preciso levantar!

Muito chamego

A cama compartilhada também é defendida por quem apoia o método de criação com apego. Nada mais é do que oferecer colo, abraços e beijos sem moderação ao bebê. Além disso, nunca deixá-lo chorando sozinho. O objetivo é fortalecer ainda mais o vínculo do filho com os pais e – engana-se quem pensa o contrário – tornar a criança mais segura e independente para a vida adulta.

Assim, dormir junto com o bebê reforça mais a criação com apego. Dessa forma, todo o carinho e proteção podem continuar mesmo na hora do soninho. 

Contras da cama compartilhada

Perigo de sufocamento

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) não recomenda a cama compartilhada pelo perigo do sufocamento, principalmente em bebês recém-nascidos e nos primeiros meses de vida, quando eles ainda possuem movimentos restritos.  

O que pode acontecer é os pais dormirem profundamente e machucarem o filho que está na mesma cama. Em casos trágicos, os adultos podem rolar por cima da criança e sufocá-la. 

Cama compartilhada prejudica sono dos pais
O sono dos pais pode ser prejudicado ao dividir a cama com os filhos

Individualidade em risco

Pessoas contrárias à cama compartilhada alegam que o hábito pode diminuir a individualidade tanto do filho quanto dos pais.

O pequeno não saberá o que é ter um espaço próprio – o seu quartinho – e nem como respeitar o espaço do outro. Também não entenderá o que é ter um lugar de refúgio para poder ficar sozinho consigo mesmo.

Já os pais perderão a privacidade e podem até mesmo ter o sono prejudicado, pois estarão sempre preocupados em não machucar a criança ou irão acordar em cada movimento dela.  

“Quero terminar com a cama compartilhada. O que fazer?”

Alguns pais começam o processo de cama compartilhada logo que o bebê nasce, mas com o objetivo de, com o passar do tempo, fazer com que o filho passe a dormir em seu próprio quarto.

Contudo, essa transição nem sempre é fácil e as crianças demonstram resistência em dormir sozinhas.

Porém, algumas táticas podem ajudar no processo. A primeira é fazer tudo de forma gradual. Isto é, combinar com a criança que ela irá dormir algumas noites da semana no quarto dela. Com o passar dos dias, essa frequência será aumentada.

Outra dica é relaxar o pequeno antes de dormir, para evitar que ele sinta medo. Para isso, leia histórias, cante músicas e sempre fale que a mamãe e o papai estarão presentes sempre que ele precisar e a qualquer momento da noite.

Por fim, algo que estimula muito a criança a dormir no próprio quarto é decorar o cômodo de acordo com as preferências dela. Ao ver as paredes pintadas com a cor preferida ou os brinquedos mais amados nas estantes, elas se empolgam para ficar cada vez mais naquele espaço.

Você já tem uma opinião sobre a cama compartilhada? Conte para nós! Também nos diga como são os hábitos de sono do seu bebê. 





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF