Entenda como escolher as roupas de bebê para cada fase

 1.778 Visitas  27 de setembro de 2018  Rock Content
Mãe escolhendo as roupinhas

A hora de montar o enxoval do bebê é um momento mágico. Qual mãe não fica tentada a comprar cada roupinha ou acessório diferente que encontra? Montar o guarda-roupa da criança é sempre uma delícia! Mas para evitar exageros ou falta de itens, é importante planejar com antecedência as roupas de bebê para cada fase do seu desenvolvimento.

O planejamento evita a compra exagerada de peças e erros no tamanho ou tipo. Afinal, as crianças crescem rápido (ainda mais no primeiro ano de vida) e logo perdem seu enxoval. Além disso, quando o novo membro da família chegar, com certeza você vai ganhar muitas roupas e acessórios de presente!

Então, nada de ceder à tentação antes de analisar alguns detalhes. Quer saber como organizar de forma adequada o enxoval do bebê? Confira neste artigo as principais dicas para acertar na hora das compras!

Considere a data do parto

A criança nascerá quando? O clima na época prevista para o parto será determinante na escolha das peças do enxoval.

Caso o nascimento esteja previsto para o fim do inverno, por exemplo, provavelmente o bebê usará roupas pesadas em menor quantidade do que se tivesse nascido logo nos primeiros dias da estação. Situação inversa ocorre se o parto acontecer no verão.

A data do nascimento também influencia as compras para as demais fases do bebê. Ao escolher roupas de tamanho maior, considere a temperatura prevista para quando a criança atingir a idade em questão. Ou seja, ao comprar um tamanho de seis meses, leve em conta a estação do ano em que seu bebê terá quando atingir essa idade.

É importante analisar também o perfil e hábitos da sua família. Vocês costumam passar férias em locais mais frios ou mais quentes? Frequentam praias ou saem à noite? Tudo isso pode ajudar a determinar as escolhas para o enxoval.

Lembre ainda que nos primeiros meses de vida as trocas de roupa são frequentes, o que exige uma quantidade maior de peças.

Prefira peças confortáveis

Por mais linda que seja a roupa, analise os detalhes antes de comprá-la. Botões, bordados, elásticos, zíperes e outros itens devem ser confortáveis e funcionais. Além disso, pompons, fitas, laços, botões e outros penduricalhos despertam a curiosidade dos pequenos podendo ser levados à boca, colocando a criança em risco.

Preste atenção se a meia não vai apertar o pé do bebê, se o calçado tem o tamanho adequado e se o comprimento do macacão com pé não impede que a criança estique a perna.

Nos primeiros meses de vida, o ideal é optar por bodies e macacões, pois conjuntos de calças e blusas não são confortáveis para bebês que passam a maior parte do tempo deitados. Deixe esse tipo de look para quando a criança conseguir sentar.

Peças em lã também devem ser evitadas, pois, geralmente, causam alergias. Da mesma forma, acabamentos malfeitos, etiquetas e outros adereços também podem ser incômodos para o bebê. Evite-os sempre que possível. O ideal é procurar tecidos mais confortáveis, como malhas 100% algodão.

Evite materiais sintéticos, ásperos ou que possam soltar bolinhas e fiapos. Verifique também a qualidade das costuras, pois as peças serão lavadas inúmeras vezes e precisam ser resistentes!

Escolha as roupas de bebê para cada fase

A criança tem saltos de desenvolvimento, tanto neuromotores quanto físicos. Isso significa que seu bebê vai crescer, não apenas em tamanho (peso e medidas), mas também em maturidade e motricidade.

Ou seja, logo as roupas compradas para os primeiros meses não serão mais adequadas, mesmo que o bebê ainda tenha peso e altura para vesti-las. A criança estará maior e vai precisar de peças que permitam mais movimentos e sejam mais fáceis de trocar. Tudo isso sem deixar o estilo de lado!

A fase em que os bebês começam a engatinhar e, logo depois, a andar, tem looks incríveis! Confira as nossas dicas para cada etapa do desenvolvimento e crescimento do seu filho!

Recém-nascidos

Nessa fase as roupas precisam ser práticas e fáceis de trocar. O bebê passa pouco tempo acordado, e trocá-lo logo após a amamentação, quando já pegou no sono, geralmente significa mais choro e impaciência. Então, simplificar é a palavra-chave.

Vale investir em bodies com fechamento entre as pernas, que facilitam a troca de fraldas, e macacões com pés por cima, se o tempo estiver frio. O ideal é comprar de 10 a 12 peças, com manga curta e longa — se o tempo for frio, maior quantidade de manga longa, e se estiver quente, o contrário.

Pode parecer muito, mas é a peça que você vai precisar trocar com maior frequência. Por cima do bodymacacões são ideais para os bebês menores. Se a criança nascer no inverno, invista em peças em plush, que são mais quentes. No verão valem malhas mais leves.

Além dos bodies e macacões, itens como meias e calças com pé embutido estão entre as peças que o bebê mais usa.

Nos primeiros dias de vida, luvas ajudam a criança a não arranhar o rosto, e meias mantêm os pés quentes. Gorros devem ser utilizados apenas quando o bebê sair de casa. Evite deixar a criança dormir com algo na cabeça, pois há risco de sufocamento caso o gorro saia do lugar.

Evite comprar uma grande quantidade de peças tamanho RN, pois um recém-nascido cresce bem rápido e em poucos dias a roupa pode não servir mais. O ideal é ter algumas opções nesse tamanho para os primeiros dias de vida.

Vale lembrar que camisetas, blusas, casacos e vestidos não são confortáveis para recém-nascidos. Por mais que a peça seja linda, lembre-se de que a criança passará a maior parte do tempo deitada ou no colo e a roupa pode subir e causar desconforto.

Entre 3 e 6 meses

Nessa fase as crianças crescem rapidamente. Um bebê que nasceu com cerca de 3 quilos chega aos 6 meses, em média, com 8 a 9 quilos. Em outras palavras, é um período em que a criança praticamente triplica seu tamanho.

Vale comprar algumas unidades de cada tamanho e investir em peças mais estilosas. Por volta de 4 a 5 meses a criança já consegue sentar sozinha e passa a interagir mais com o mundo ao seu redor. É um bom momento para introduzir camisetas, camisas, shorts ou saias, vestidos, casacos e calças sem pés.

Macacões deixam de ser imprescindíveis e passam a ser usados como pijamas. Calçados, embora a criança ainda não saiba andar, também compõem o visual. Uma alternativa a eles, e que contribui tanto para o conforto do bebê quanto para facilitar o equilíbrio nas primeiras tentativas de se manter em pé, são meias com antiderrapantes.

Seis meses a 1 ano

O bebê, que aos 6 meses pesava cerca de 9 quilos, chegará ao seu primeiro ano com 10 a 12 quilos. Isso significa que a velocidade de crescimento será um pouco menor. Por consequência, as roupas compradas para essa etapa terão uma vida útil bem maior.

Nesse período, o bebê vai aprender a engatinhar e possivelmente estará andando (ou quase) com um ano. Roupas confortáveis, que ofereçam liberdade de movimento, são as mais indicadas.

Calças com proteção nos joelhos são bem-vindas. Agora também é hora de investir em calçados, mas sempre prezando pelo conforto e segurança. Solas antiderrapantes e materiais antitranspirantes são as melhores escolhas.

Algumas peças conseguem ter maior vida útil, dependendo da forma de uso. Para meninas, a dica é adquirir vestidos sem cintura marcada, que no futuro servem como batas. Já para ambos os sexos, calças com elástico ou ajuste na cintura são reaproveitadas como bermudas.

Saber escolher as roupas de bebê para cada fase do desenvolvimento torna sua vida mais prática e ajuda a organizar um guarda-roupas funcional e sem desperdícios.

Quer comprar peças exclusivas das melhores marcas, no conforto da sua casa e com muita segurança? Confira a loja virtual da Kid’s Brasil e conheça as nossas novidades!

 





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF