Figura paterna: a grande importância dela na educação dos filhos

 3.057 Visitas  2 de agosto de 2017  Rock Content
figura paterna

Por mais que você seja uma mãe atenciosa, ainda assim a importância da figura paterna na educação dos filhos é fundamental. Ela garante uma maior autoconfiança no desenvolvimento social das crianças.

Como todos nós sabemos, a conexão entre a mãe e os filhos durante o período da gestação e também na amamentação colocam a mulher em um patamar de porto seguro. Mas e a figura paterna também tem sua importância na construção da educação da criança para sua vida em sociedade. A Kid’s Brasil trouxe todos os motivos para você!

Tal pai, tal filho!

Para os meninos a presença de uma figura paterna é ainda mais importante. Isso se dá porque o ser humano necessita de um exemplo para se espelhar. No caso dos garotos essa figura representa um universo diferente do que é exposto pela mãe.

O pai tem a oportunidade de introduzir à criança um mundo que agrega maiores diferenciais levando em consideração questões sociais. Isso contribui para agregar melhores resultados com relação aos relacionamentos e também na confiança com outras pessoas.

Entendendo a atitude do papel masculino na criação da criança

O papel da mãe é automaticamente identificado e também valorizado pela sociedade. A mulher por si só consegue estabelecer um maior vinculo com os filhos desde a gestação. Para os homens esse caminho precisa ser gradativamente construído por meio de um desejo totalmente consciente de aproximação que deve ocorrer desde os primeiros momentos de vida da criança.

Muitos pais não sabem muito bem como encontrar seu espaço então aí vai algumas dicas:

Vale também destacar que a presença dos pais nunca deve ser delegada ou compensada por itens materiais, como roupas, brinquedos, viagens e outros mimos! A figura paterna não pode ser suprida com objetos o ideal é a presença.

 

Família moderna

Nem sempre pai e mãe criam juntos os filhos. O importante é fazer a criança se sentir segura nas mais variadas situações

1. Em caso de morte, mudança de cidade, adoção independente ou qualquer situação em que o convívio com o pai não é possível, a mãe não pode ceder demais e tentar compensar essa ausência. É preciso fazer o papel de pai e mãe. Dar carinho ao mesmo tempo que estabelece limites.

2. Na ausência do pai, é saudável que as crianças adotem outro modelo masculino. Pode ser o avô, o tio, o irmão, o padrinho, um amigo chegado… No entanto, deixe claro para o seu filho quem é essa pessoa na dinâmica familiar para evitar confusões na cabeça do pequeno.

3. Quando o casamento acaba, o pai deve continuar presente na rotina do filho. Lembre-se que não ter sido a pessoa certa para você não significa que ele não é essencial para a criança. O afastamento gera dificuldades para se relacionar em sociedade.

 

E quando o pai é ausente na criação da criança?

Esse tipo de relação, infelizmente, tornou-se uma crescente na nossa realidade social. Quando isso acontece, as mães acabam precisando assumir o papel de pai também! Isso não é uma tarefa fácil!

Logicamente cada criança tende a reagir de uma maneira diferente, porém, é comum que se identifique alguns traços de introspecção e dependência da mãe por parte das crianças que não tiveram uma ligação com o lado paterno. Isso se torna mais evidente ainda na fase da adolescência, bem como também na vida adulta.





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos