Introdução alimentar: como saber se o bebê está pronto?

 589 Visitas  2 de abril de 2020  Edgar Faria
introdução alimentar

Ao completar seis meses de idade, é chegada a hora de um dos marcos mais importantes do crescimento do bebê: a introdução alimentar. Trata-se da fase em que o pequeno deixa apenas de mamar – seja o leite materno ou a fórmula – e começa a ingerir alimentos sólidos. Entretanto, tudo de forma gradual.

Isso porque, até o primeiro ano de vida, o leite continuará sendo a principal fonte de nutrientes. Assim, muitos especialistas afirmam que, nesse início da introdução alimentar, o principal objetivo é fazer com que a criança conheça mais os alimentos, seu gostos, texturas e cores e, a partir disso, desenvolva uma boa relação com a comida.

Contudo, é normal os pais possuírem diversas dúvidas sobre esse assunto. Afinal, mesmo ao chegar na idade de seis meses, ainda é importante perceber algumas mudanças físicas no bebê que mostram que ele está pronto para essa mudança na alimentação. 

Por isso, reunimos os principais fatores que indicam que o seu filho já pode começar a comer outros alimentos.

Por que aos seis meses?

O primeiro a se dizer, porém, é que a introdução alimentar não pode ser iniciada antes dos seis meses. O motivo está nas mudanças no organismo do bebê que nós não conseguimos ver, mas que são fundamentais.

O sistema digestivo e imunológico, por exemplo, não são maduros o suficiente antes dessa idade. Portanto, não conseguem lidar corretamente com a ingestão de outros tipos de alimentos que não são o leite.

Assim, bebês que passam pela introdução alimentar antes da idade correta possuem mais riscos de desenvolverem alergias, intolerâncias alimentares e outros problemas digestivos.

Vale lembrar que o marco dos seis meses foi definido por meio de estudos e é a orientação de diversas entidades de saúde, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP).

O bebê mama mais antes da introdução alimentar

Outra dica de que o bebê está pronto para a introdução alimentar é a maior necessidade que ele demonstra de mamar. Muitas mamães percebem que seus filhos começam a exigir mamadas de forma mais frequente e com maior duração.

Porém, isso não significa que o leite materno é “fraco” e que a amamentação deve ser completamente interrompida. Mesmo com o começo da ingestão de alimentos sólidos, a recomendação é que o aleitamento continue até os dois anos ou mais

O bebê deve se sentar sozinho antes da introdução alimentar
Sustentar o corpo sem apoio ao sentar é um fator essencial para a introdução alimentar

A criança já consegue se sentar sozinha

Quando o bebê se senta sozinho e sem apoio, ou seja, consegue sustentar a coluna, pescoço e cabeça, é um sinal de que a hora da introdução alimentar se aproxima. 

Isso porque é essa firmeza no corpo que irá fazer com que a deglutição seja correta e tenha menores riscos de engasgos. 

Todavia, nos primeiros dias da nova alimentação, não se assuste com o chamado “reflexo de GAG”. Ele se assemelha a um engasgo, mas não é. Trata-se apenas do corpo se acostumando a engolir algo sólido e a impressão é a de que o bebê irá vomitar ou cuspir o alimento. Porém, essa situação termina rapidamente. 

Já quando ele realmente engasga, haverá os seguintes sinais: dificuldade para respirar ou ausência de respiração, rosto vermelho, lábios azulados e a tentativa de emitir algum som, mas sem conseguir. 

Há menos o reflexo de colocar a língua para fora da boca

Outra mudança nos organismos dos bebês, que ajuda na introdução alimentar, é a diminuição de um tipo de reflexo que as crianças possuem logo nos primeiros meses de vida. É o de colocar, automaticamente, a língua para fora da boca.

Com isso, o pequeno irá cuspir menos os alimentos sólidos. 

introdução alimentar após a aprendizagem de alguns movimentos com as mãos
Quando o bebê aprende alguns movimentos com as mãos também é indício de que a introdução alimentar pode começar

As mãozinhas já fazem novos movimentos

Outras ações que indicam que o bebê já está pronto para a introdução alimentar são os novos movimentos das mãos, principalmente o “de pinça”. Isto é, a união dos dedos indicadores e dos polegares, fundamentais para pegar os alimentos, principalmente se o método escolhido para a alimentação for o BLW

No entanto, mesmo com todos esse sinais, é essencial conversar com o pediatra antes de iniciar a introdução alimentar. O especialista poderá indicar medidas que irão se adequar melhor às condições de saúde do seu bebê.

Caso tenha restado alguma dúvida, você também pode compartilhar com a gente aqui nos comentários. Como está sendo a preparação para a nova alimentação do seu bebê?





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos