Gravidez depois dos 40 anos é segura?

 671 Visitas  30 de junho de 2020  Edgar Faria
gravidez depois dos 40

A chegada da quarta década de vida é um marco para as mulheres, mas, infelizmente, pelo lado ruim. É vista como a época em que a fertilidade acaba e não há mais chances para quem ainda quer ter filhos. Porém, a gravidez depois dos 40 se torna cada vez mais comum.

Afinal, muitas mulheres priorizam a vida profissional para que, depois, consigam oferecer melhores condições para seus bebês. Já outras, apenas querem ter filhos quando estão mais maduras. 

Porém, não podemos mentir falando que não há riscos em uma gestação depois dessa idade. Entretanto, conhecer as diferenças e os cuidados especiais que essa condição necessita é uma forma de tranquilizar as mulheres que decidem se tornar mães nessa fase da vida.

Portanto, reunimos as principais informações sobre o assunto. Confira:

Fica mais difícil?

Sim, engravidar depois dos 40 anos é mais difícil. Isso porque a mulher nasce com todos os seus óvulos prontos e eles são “descartados” a cada ovulação. Assim, com o passar do tempo, esses óvulos ficam envelhecidos e de baixa qualidade.

É por esse motivo que os médicos afirmam que, a partir dos 35 anos, as chances da mulher engravidar naturalmente giram em torno de 50% e 60%. Quanto mais velha, mais esses números diminuem.

Dessa forma, alguns especialistas recomendam que, após os 40, a paciente tente por seis meses engravidar por meios naturais. Caso não consiga, é preciso realizar algum método de reprodução assistida. No entanto, outros já orientam a procurar o médico logo quando decidir ter um filho. 

Riscos da gravidez depois dos 40
Diabetes gestacional é um dos riscos que aumentam com uma gravidez tardia

Os riscos da gravidez depois dos 40

Além dessa maior dificuldade para conceber, engravidar depois dos 40 anos também pode acarretar alguns problemas de saúde na mãe. São eles: diabetes gestacional, hipertensão, danos na placenta, abortamento e trabalho de parto prematuro. 

Para o bebê, o maior perigo está nas alterações dos cromossomos. Isso gera diversas síndromes, sendo as mais comuns a de Down, a de Edwards e a de Patau. Segundo um estudo do Hospital das Clínicas de São Paulo, o risco de anomalias genéticas nos bebês de grávidas de 20 anos é de 0,5%. Para as gestantes de 35 anos é de 1%. Aos 37 é de 2% e aos 40 anos de 5%. Aos 44, esse número chega a 10%.

A má notícia é que essas síndromes não podem ser prevenidas, mas é possível detectá-las por exames logo no início da gestação, em torno da 9ª semana. 

Como é feito o pré-natal

Apesar desses maiores riscos, o pré-natal da gestante com mais de 40 anos pode ser feito normalmente, com uma consulta por mês. Todavia, caso seja detectado algum problema de saúde, o médico irá programar avaliações mais frequentes e exames adicionais. 

Ademais, é preciso manter os mesmos cuidados das outras grávidas, como ter uma alimentação saudável, não sofrer grandes estresses, descansar e, se permitido, realizar atividades físicas. 

Vantagens da gravidez depois dos 40
Também existem diversos pontos positivos de engravidar depois dos 40 anos

As vantagens da gravidez depois dos 40

Nem tudo é desvantagens ao engravidar depois dos 40 anos. Também existem pontos positivos. Nesta fase da vida, as mulheres costumam ter ideias mais realistas acerca da maternidade e maior certeza sobre se querem ser mãe. Com isso, conseguem vivenciar o momento com mais maturidade.

Além disso, há chances da futura mãe já ter uma carreira consolidada e equilíbrio na área financeira, ocasionando menos preocupações durante a gravidez. 

Portanto, o importante é se cuidar e entender que, mesmo mais velha, é possível ter uma gravidez saudável.

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre esse assunto, deixe aqui nos comentários. Também nos siga nas redes sociais para receber mais dicas do mundo da maternidade.





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF