Recém-nascido resfriado: o que fazer e como evitar?

 190.721 Visitas  4 de maio de 2017  Rock Content

Com a chegada do outono e a proximidade do inverno, é importante ficar atenta aos cuidados e à rotina de seu bebê. Gripes, resfriados, tosse e alergias são mais comuns nessa época, seja em função da mudança de temperatura, seja por que as pessoas permanecem mais tempo em ambientes fechados. Você sabe como evitar um resfriado em recém-nascido?

Na verdade, crianças de todas as idades ficam expostas ao contágio, mas os recém-nascidos tendem a sofrer mais, já que seu sistema imunológico ainda está em desenvolvimento. Além disso, muitos bebês acabam tendo dificuldade de sugar em função da congestão nasal, o que dificulta a amamentação e o sono.

O resultado disso é uma criança irritada e sensível, que chora muito e não consegue adormecer e, quase sempre, uma mãe muito preocupada sem saber ao certo como agir. Mas tenha calma! O sistema imunológico do bebê ainda está em desenvolvimento e logo essa fase vai passar! Continue a leitura deste artigo para saber como aliviar o desconforto.

Quais são os sintomas do resfriado em recém-nascidos?

Em primeiro lugar, é importante diferenciar o resfriado de gripes e alergias. Confira as características de cada doença.

Gripe

A gripe, ou influenza, é uma infecção dos pulmões e vias aéreas causada por alguns tipos de vírus, provoca grande mal-estar, além de febre em torno de 39°C, congestão e corrimento nasal, dor muscular, dor ou infecção na garganta.

Existem três tipos de vírus de gripe (A, B e C), mas a maior parte das infecções gripais sejam causadas pelo Tipo A. Em bebês muito pequenos, a gripe pode se agravar e levar ao surgimento de outras complicações, como pneumonia e inflamações no ouvido. Por esse motivo, é muito importante consultar o pediatra em caso de qualquer suspeita.

Além disso, a vacinação anual contra a gripe é muito importante. No entanto, os bebês só podem ser vacinados a partir dos seis meses de idade. No caso de recém-nascidos, o ideal é que a mãe e demais pessoas que convivem com a criança sejam imunizadas para não desenvolverem a doença e, consequentemente, não infectarem a criança.

A amamentação também tem um papel fundamental para preservar a imunidade do recém-nascido. Se você não tomou a vacina durante a gestação e está amamentando seu bebê de menos de seis meses, saiba que não há problemas em ser imunizada durante a fase de aleitamento. Inclusive, você passa os anticorpos ao recém-nascido pelo leite materno.

Caso o seu bebê tenha mais do que seis meses, já pode ser vacinado. Converse com o pediatra e siga as orientações sobre a melhor época para a imunização, já que nessa fase a criança também é vacinada contra uma série de outras doenças.

Resfriado

Embora com sintomas semelhantes, o resfriado é uma doença muito mais comum. Também de origem viral, o resfriado apresenta sintomas mais brandos do que a gripe. Nem sempre um resfriado causa febre, mas, se houver aumento de temperatura, será menor do que nos casos de gripe.

Um resfriado em recém-nascido causa desconforto especialmente em função do nariz obstruído, que dificulta tanto o sono quanto a amamentação. Se for uma criança mais velha, que já passou pela introdução alimentar, será mais simples oferecer alimentos, apesar da redução do apetite. Já um recém-nascido resfriado exige muita paciência da mãe para conseguir amamentar.

Nos dois primeiros anos de vida, um bebê pode ter de oito a dez resfriados. Assim, é muito importante ficar atenta aos sintomas e, em caso de dúvidas, procurar o pediatra. Os sintomas mais comuns do resfriado no recém-nascido são:

Alergia

Embora em alguns casos os sintomas sejam semelhantes (espirros, tosse e nariz entupido ou escorrendo) e possam confundir a família, as alergias não são causadas por vírus. Pelo contrário, alergia é uma resposta do organismo a substâncias consideradas alérgenas, como ácaros, poeira, perfumes, pelos de animais ou mesmo determinados alimentos.

A alergia não causa febre e tende a se repetir sempre que a criança tiver contato com o agente causador. Assim, independentemente da idade do seu bebê, é importante manter o ambiente limpo e arejado, os brinquedos (especialmente pelúcias) limpos e observar o que pode ser o causador da crise.

Tapetes e cortinas também devem ser aspirados com frequência, bem como as trocas de roupa de cama e banho da criança precisam ser intensificadas.

Os sintomas no recém-nascido resfriado tendem a desaparecer entre três e sete dias

Qual o modo de contágio dos resfriados?

Agora que você já entendeu a diferença entre gripe, alergia e resfriado, é importante ficar atenta aos cuidados necessários para evitar a propagação de vírus.

Em bebês, a forma de contágio mais comum é por meio da saliva. Isso pode acontecer se alguém espirrar perto da criança e ela aspirar alguma gotícula, por beijos ou mesmo o contato com as mãos. Daí a importância de todas as pessoas que têm contato com a criança manterem as mãos sempre bem-higienizadas com água e sabão.

Outro ponto que merece atenção é que contato direto com a fumaça de cigarro também causa uma predisposição a diferentes infecções respiratórias. Assim, não exponha a crianças a ambientes com fumantes.

Se você ou algum membro da família fuma, é importante não fazer isso dentro de casa e sempre higienizar as mãos e trocar de roupa antes de pegar a criança no colo. Nesse caso, considere também a possibilidade de mudar os hábitos.

Evite também levar a criança a ambientes fechados e com aglomerações, como shoppings, restaurantes ou mesmo buffets de festas infantis. Na maioria dos casos de resfriados em recém-nascido, os sintomas começam a melhorar e desaparecem entre três e sete dias. Portanto, paciência é sempre o melhor remédio.

Como evitar o resfriado nos bebês?

Existem algumas coisas que você pode fazer para diminuir a quantidade de resfriados que afetam o seu bebê. Mas, lembre-se de que não existe uma maneira de evitar 100% as infecções. Com o tempo, a criança vai desenvolver seus anticorpos e ficar menos exposta aos resfriados.

Os recém-nascidos que convivem com irmãos mais velhos ou com outras crianças que vão para a creche ou escola costumam ter uma incidência maior de resfriados durante o ano. Para evitar isso, ensine as crianças maiores a lavarem as mãos sempre que chegarem em casa e forem ter contato direto com o bebê.

A mesma regra vale para adultos. Mantenha sempre por perto um frasco de álcool gel e não se intimide em solicitar às pessoas que higienizem suas mãos. Beijos devem ser evitados, assim como atos corriqueiros, como assoprar um alimento quente antes de oferecer à criança.

Além de todos esses cuidados, o aleitamento materno nos primeiros meses de vida é fundamental para a imunidade da criança. Caso, por alguma razão, você não tenha amamentado, consulte o pediatra sobre os alimentos mais indicados a cada fase do bebê.
recem-nascido resfriado

Como aliviar os sintomas do resfriado no recém-nascido?

Sem dúvida, o sofrimento do recém-nascido com os sintomas do resfriado deixa os pais preocupados e com o coração na mão! Felizmente, o resfriado não é uma doença grave. Assim, é importante ter paciência e oferecer muito carinho à criança. Seu bebê vai precisar de colo e aconchego!

Para driblar o desconforto e as noites sem dormir, proporcionando mais conforto à criança, confira nossas dicas para aliviar o problema.

Agasalhe na medida certa

Outono e inverno são épocas nas quais os resfriados se tornam mais comuns e, além disso, a temperatura tende a cair muito. Agasalhar o bebê é essencial, mas o excesso pode deixá-lo ainda mais irritado e transpirando muito.

Por outro lado, observe regiões como a barriga, as costas e o pescoço: se elas estiverem mais frias, é sinal de que seu pequeno precisa de mais roupas de frio. O mesmo vale durante a noite. É importante manter o bebê aquecido, mas cuidado com exageros!

Veja como lidar com o nariz entupido

Se o nariz entupido já é uma grande perturbação para adultos, imagine para os bebês. Para aliviar o desconforto, é recomendado lavar as narinas com soro fisiológico várias vezes ao dia.

Você também pode utilizar aspiradores nasais — tanto manuais quanto elétricos —, que ajudam a aspirar as secreções que atrapalham a respiração. Apenas lembre-se de não usá-los muitas vezes ao dia, pois eles podem irritar a pele delicada do bebê.

A inalação (apenas com soro) também ajuda a liberar as secreções, melhorando a respiração. No entanto, só utilize medicações aliadas ao soro com recomendação médica.

Ajude o bebê a respirar melhor

Para proporcionar uma noite de sono mais confortável, deixe a cabeça do recém-nascido mais elevada. Isso ajudará a respirar melhor. Para fazer isso, você pode:

Tenha cuidado com os remédios

Jamais medique seu recém-nascido resfriado sem a avaliação do pediatra. Por mais simples que seja o problema, todo cuidado é pouco, mesmo com crianças maiores. Afinal, muitos medicamentos provocam efeitos colaterais que podem prejudicar ainda mais a saúde de seu bebê.

Fique de olho na temperatura da criança

A cada três horas, verifique a temperatura do bebê e acompanhe os resultados. Se o termômetro apontar mais do que 37.5 °C, seu filho está com febre. Você pode dar um banho morno na criança e observar se a temperatura se mantém elevada. Um antitérmico prescrito pelo pediatra também pode ser ministrado.

Se a temperatura continuar aumentando ou a criança permanecer indisposta e abatida, é o momento de entrar em contato com o pediatra ou levar o bebê a um serviço de pronto-atendimento.

Observe os sintomas

Além da temperatura, observe o quadro geral da criança: ela está se alimentando normalmente, dormindo e sem irritação? Talvez não seja um resfriado, mas apenas alergia, como explicamos acima.

Em crianças mais velhas, é mais fácil identificar os sintomas, no entanto, no caso de um recém-nascido, é fundamental ficar alerta. A recusa alimentar, dificuldades para dormir, choro intenso e nariz obstruído são sinais que indicam um possível resfriado.

Esteja atenta aos sintomas de seu filho e dê o máximo de amor e carinho que puder para que ele passe pelo desconforto de forma mais tranquila.

Qual é o momento de procurar o pediatra?

É sempre bom entrar em contato com o pediatra e solicitar orientações a partir do momento em que você perceber um sintoma de gripe ou resfriado no recém-nascido — sobretudo se o bebê tiver menos de 3 meses de idade.

Se seu bebê apresentar febre que não cede com os antitérmicos de rotina, procure ajuda médica imediatamente. Pode ser que outras medidas, como medicamentos diferentes ou cuidados especiais, sejam necessárias para garantir o bem-estar da criança.

Embora não seja uma doença grave, o resfriado em recém-nascido merece atenção, pois, além do desconforto, pode causar outros problemas à criança que sejam decorrentes da recusa alimentar, sono insuficiente e acúmulo de secreções nos seios nasais.

Quer receber mais dicas para garantir a saúde e a rotina adequada ao seu bebê? Então assine agora mesmo a nossa newsletter e fique por dentro de todas as etapas do desenvolvimento do seu filho!






Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF

Quer economizar 5% em sua compra?

Cadastre-se e regate agora!

× não quero desconto