Teste do pezinho: veja as doenças que ele identifica

 440 Visitas  3 de fevereiro de 2020  Edgar Faria
Teste do pezinho

Logo após nascer, o bebê precisa passar por uma série de exames para verificar seu estado de saúde. O principal deles é o teste do pezinho, capaz de detectar diversas doenças metabólicas graves. Porém, quando identificadas a tempo, podem ser tratadas e acarretar menos riscos de sequelas.

No entanto, apesar de bastante conhecido, ainda poucas pessoas entendem como funciona o exame e os problemas que ele pode diagnosticar. Assim, o primeiro fato para entender é que se coleta apenas uma gota de sangue do calcanhar do recém-nascido. Isso porque essa área é muito vascularizada, mas quase não causa dor nos pequenos. 

Quando se identifica alguma doença, o médico prescreve novos exames para analisar mais profundamente. Entretanto, em alguns poucos casos, o resultado pode ser inconclusivo e torna-se necessário realizar um novo teste. 

As doenças que o teste do pezinho identifica

O teste do pezinho pode apontar a existência de seis principais doenças. Veja quais são elas:

Fenilcetonúria

A fenilcetonúria é a incapacidade de quebrar as moléculas do aminoácido fenilalanina. Caso não tratada, pode causar danos cerebrais, convulsões, deficiências intelectuais e sintomas comportamentais. 

Hemoglobinopatias

As hemoglobinopatias são as doenças que afetam o sangue. A mais comum é a anemia falciforme, que acarreta na formação incorreta nas hemoglobinas (células vermelhas), que surgem em formato de foice. Com isso, o transporte de oxigênio é afetado.

Hipotireoidismo congênito

O hipertireoidismo congênito é a pouca ou nula produção de hormônios pela glândula tireoide do bebê. Os sintomas do problema podem não aparecer nos primeiros dias ou anos de vida, mas surgem no futuro.

Entre eles estão: dificuldades respiratórias, anemia, constipação, atraso na dentição, retardo na maturação óssea, atraso de desenvolvimento neuropsicomotor, sopro cardíaco, hérnia umbilical e pele seca.

Deficiência de biotinidase

A deficiência da enzima biotinidase gera os seguintes problemas: aumento do fígado e baço, infecções fúngicas, problemas de visão, perda de coordenação muscular, acúmulo de ácido lático no corpo, problemas respiratórios e dificuldade para se alimentar, entre outros sintomas. 

Fibrose cística

A fibrose cística é uma doença genética e hereditária. Ela se caracteriza pelo acúmulo de secreções densas nos pulmões, no trato digestivo e em outras áreas do corpo.

Os sintomas incluem tosse, infecções pulmonares, fezes gordurosas e incapacidade de ganhar peso. 

Hiperplasia adrenal congênita

Trata-se da deficiência da enzima 21 hidroxilase, envolvida na produção de hormônios da glândula suprarenal. Dessa maneira, a hiperplasia adrenal congênita causa, nas meninas, genitália ambígua e, nos meninos, puberdade precoce. 

Teste do pezinho ampliado
Também existe o teste do pezinho ampliado que identifica mais doenças

O teste do pezinho é obrigatório

Todos os bebês brasileiros devem fazer o teste do pezinho, de preferência nas primeiras 48 horas de vida. Em algumas cidades, os cartórios não registram as crianças que não passaram pelo exame.

Por isso, as maternidades do Sistema Único de Saúde (SUS) realizam o procedimento, assim como os postos de saúde. Os hospitais privados também o oferecem, mas é preciso checar a cobertura do plano de saúde ou se há custos adicionais. 

Vale lembrar que o teste do pezinho também possui sua versão ampliada, que identifica mais doenças. Todavia, ela não é oferecida pelo SUS. Portanto, é preciso checar com o médico para entender se ele acha necessário realizar essa alternativa de acordo com as condições de saúde do seu bebê. Você e o especialista irão decidir o que fazer para proteger ainda mais o seu pequeno!





Visite nossa loja física
Visite nosso site.
Contate-nos
Ganhe   5% OFF

Quer economizar 5% em sua compra?

Cadastre-se e regate agora!

× não quero desconto